Três erros muito correntes

Tentarei falar de três erros que estão muito vulgarizados entre gente muito escolarizada, plumitivos de gabarito elevado, jornalistas e até mesmo escritores de bem alta qualificação. Aqui se indiciam:“um dos que faz”, “centenas de milhar”, “o facto da conhecer”. Cada um deles será tratado em separado. Vamos então ao primeiro.

1. “…Eu sou um dos que faço questão?…”
É isso: o verbo da oração relativa com o sujeito ‘que’. Ora o que me permito lembrar a todos esses senhores e senhoras, useiros(as) e vezeiros (as) do que eu considero incorrecto, é que, com o sujeito ‘que’ relativo, o verbo concorda com o antecedente do relativo, seja ele (o antecedente) um pronome demonstrativo ou um nome. Pois é, o verbo dessa relativa concorda com esse antecedente. E mais: concorda em número e, se é o caso, em género. Vejamos:

Primeiro, concordância em número, conjugando:

ERRADO ………………………………………………………….. CERTO

Eu sou um dos que faço questão ………………………… Eu sou um dos que fazem questão…

Tu és um dos que fazes questão ………………………… Tu és um dos que fazem questão…

Ele, ela, você é um dos que faz questão ………………. Ele, ela, você é um dos que fazem questão…

Nós somos daqueles (dos) fazemos questão ……….. Nós somos dos que fazem questão…

Vós sois dos que fazeis questão ………………………… Vós sois dos que fazem questão

………………………………………………………………………. Eles, elas, vocês são dos que fazem questão…

N.B.: dos que… ou …daqueles que…

Agora, com nome: eu sou uma das pessoas que fazem questão.

Vamos agora ao caso do género. Pode acontecer. Só dois exemplos:

Eu sou um dos que foram atingidos

Estas são algumas das que serão atingidas

E etc. … Se fosse usar todos os exemplos que todos os dias ouço/vejo, na rádio, na televisão, nos jornais, nunca mais acabava… (Cf. rubricas 43, 252, 267, 289 e 339, de Tento na Língua!…).

2. “centenas de milhar de pessoas”
Ainda no outro dia li este erro num jornal dito de referência. Vou limitar-me a recomendar a leitura da rubrica 314, onde creio que exponho o assunto com argumentos irrefutáveis, deixando, a seguir, a frase corrigida: centenas de milhares de pessoas, ou mesmo centenas de milhões, ou apenas centenas de dúzias

3. “O facto da conhecer bem”
A contracção sublinhada em que se verifica o que entendo ser erro, vem tratada na rubrica 40 de Tento na Língua!. Correcto seria, pois: o facto de a conhecer bem.

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: