Desacreditação dos professores: a maior desgraça dum país

É um dó de alma ouvir, na rua, ou da janela, alguém atirar insultos aos professores, como, por exemplo, “vai trabalhar malandro!” E é caso para perguntar como e quem é que lançou para o ar essa atoarda, essa ideia de que o professor não trabalha, o professor é malandro. E eu, agora aposentado, farto-me de pensar na minha vida de docente atarefado. Vejam vocês bem, e pensem no trabalho que, além das aulas na escola, tem de ser feito, a maior parte dele em casa: planificação da disciplina em cada nível e das aulas, dia a dia; elaboração dos testes de avaliação; correcção e avaliação dos testes, de todas as turmas, normalmente grandes, que lhe atribuíram. Agora, além de todo este trabalho implicando na docência, mais toda uma azáfama de trabalho burocrático! E ainda têm de ouvir “vai trabalhar, malandro!”. Pobres professores! Mas, pior, muito pior ainda: pobres Crianças, pobres Alunos, pobre Educação, pobre País!

E a mim, não me saem da memória os versos iniciais do célebre soneto de Camilo Pessanha: ”

“Quem poluiu, quem rasgou os meus lençóis de linho,
onde esperei morrer – meus tão castos lençóis?”

Não quer isto dizer, decerto, que os “lençóis” da Educação, neste País, de há uns anos a esta parte, tenham vindo a estar assim tão “castos”!… Mas, agora, é que parece não estarem nada limpos! Já se ouve – já se está ouvindo há muito – o furacão que se anuncia para amanhã, Sábado 8/11/08. Tudo eco do caos em que puseram a Educação. Como é que um país pode progredir com a Educação no caos?! A gente pensa e volta a pensar nesta desgraça que, de algum tempo para cá, caiu sobre este desgraçado país: a desacreditação dos professores. Porquanto não pode haver Educação sem Escola prestigiada. E não haverá Escola prestigiada sem professores prestigiados, “autorizados”, isto é, com a autoridade de que a profissão docente precisa para poder ser eficiente.

Depois do Marquês, aconteceu o descalabro na Educação por uma razão de beatice da rainha louca, que desfez a reforma (Cf. História de Portugal, Oliveira Martins). Agora, por uma razão economicista e decerto também ideológica, quererão, outra vez, entregar a Escola Pública a um certo “neojesuitismo” que anda por aí espreitando a presa?!…

Senhor Marquês, vem ou não vem outra vez?! Não riam, senhores! Alguém, bem autorizado, escreveu, antes de ter falecido há pouco: “…depois da verdadeiramente notável reforma educativa do Marquês de Pombal” (Prof. Doutor Joaquim Ferreira Gomes, in Novos Estudos da História da Educação, Quarteto, p. 40)

A propósito, à espera de consulta médica, chegou-me às mãos o nº de Novembro de 2008 da Reader’s Digest Selecções, p. 52, onde, em entrevista exclusiva acerca do tema, diz Barack Obama: “penso que, em termos gerais, as reformas [da Educação] não devem ser impostas aos professores, devemos antes ter os professores envolvidos de modo a serem protagonistas das reformas em curso.” E então é caso para perguntar: quem desacreditou os professores?, quem está interessado em desacreditar, em humilhar os professores? A desacreditação dos professores é, na verdade, a maior desgraça que pode acontecer a um país.

P.S.:Para facilitar o contexto, aí vai o soneto na íntegra:

Quem poluiu, quem rasgou os meus lençóis de linho,
onde esperei morrer – meus tão castos lençóis?
Do meu jardim exíguo os altos girassóis
quem foi que os arrancou e lançou no caminho?

Quem quebrou (que furor cruel e simiesco!)
a mesa de eu cear – tábua tosca de pinho?
E me espalhou a lenha? E me entornou o vinho?
– da minha vinha o vinho acidulado e fresco?

Ó minha pobre mãe, não te ergas mais da cova.
Olha a noite, olha o vento. Em ruína a casa nova…
Dos meus ossos o lume a extinguir-se breve.

Não venhas mais ao lar. Não vagabundes mais.
Alma de minha mãe… Não andes mais à neve,
De noite, a mendigar à porta dos casais.

CAMILO PESSANHA (1867-1926), Clépsidra

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: