Ainda as mudas: mudas a menos, mudas a mais

Li recentemente numa crónica de colunista de boa cotação cujo domínio da língua e estilo aprecio e sempre procuro não perder. Não vou referir o nome, porque se trata, aqui, duma incorrecção ortográfica que, certamente, foi devida a um equívoco, que é mais geral do que se possa pensar. Apenas transcrevo o princípio da frase que contém a ortografia incorrecta. (Digo, redigo “incorrecta”, segundo as normas de quem se recusa a adoptar o AO). Eis:

“Tudo isto e muito mais que nem vale a pena trazer aqui à colacção [sic] só serve…” [realcei a palavra visada].

Vamos lá então. Quem é pela reforma de 1945 (todos os falantes deveriam sê-lo – até os Brasileiros que assinaram e não cumpriram…), deve escrever colação com apenas um ‘ç’ (cê cedilhado).

Achei por bem fazer este reparo, no seguimento do post sobre o tema das consoantes ‘mudas’. É que há uma boa lista de palavras que podemos enquadrar num grupo lexical da família do verbo fero, fers ferre, tuli latum, palavras que radicam no supino de cada um dos compostos de fero, prefixando apenas uma preposição. Vejamos (sigo o Torrinha):

Affero ou ad-fero (prep. ad), aferre, attuli, allatum = trazer a. Não se regista nome com radical deste supino.

Aufero, auferre, abstuli, ablatum = tirar, retirar. Nome: ablationem (ablação).

Confero, conferre, contuli, collatum = conferir, comparar. Nome: collationem (colação).

Effero, efferre, extuli, elatum = levar para fora, erguer. Nome: elationem (elação: altivez; acção de erguer).

Defero, deferre, detuli, delatum. Nome: delationem (delação).

Infero, inferre, intuli, illatum. Nome: illationem (ilação).

Offero, offerre, obtuli, oblatum. Nome: oblationem  (oblação, ofertório).

Præfero, præferre, prætuli, prælatum. Nome: prælationem (prelação, o que se diz em primeiro lugar, o que se prefere).

Profero, proferre, protuli, prolatum. Nome: prolationem (prolação, pronúncia).

Refero, referre, retuli, relatum. Nome: relationem (relação, o que se relata).

Transfero, transferre, transtuli, translatum. Nome: translationem ( translação (transferência).

Todos estes substantivos se escrevem com apenas um cê cedilhado (ç). E porquê? Porque os reformadores assim o entenderam, e bem, por mera razão etimológica, pois no étimo respectivo não há nenhum ‘c’ antes da sílaba ‘ti’: colatione(m)

E, já que estamos em ‘ção’ sem mais ‘c’, lembramos outros nomes substantivos que não têm nada a ver com ‘fero’ e também não levam ‘c’ antes do cedilhado, embora se pronuncie aberto o ‘a’ precedente: inflação (inflationem; verbo inflare < inchar), deflação (deflare < desinchar).

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: