O grama e a celeuma

(A) celeuma s. f. (Do grego keleusma pelo latino celeusma): vozearia de pessoas que trabalham; algazarra; barulho; debate aceso (dos dicionários). Em grego, substantivo do género neutro: keleusma, keleusmatos. Em latim: celeusma, celeusmatis, género neutro; ou celeusma, celeusmae, género feminino.

É, pois, curioso verificar que, sendo, no grego, do género neutro, como geralmente são os substantivos terminados em ‘a’, esta palavra, ao passar pelo latim, manteve, nesta língua, o género neutro – celeusma, celeusmatis. Os falantes latinos arranjaram a versão da mesma palavra, género feminino, tema em ‘a’: celeusma, celeusmae (assim os regista o Torrinha). Em português, os falantes preferiram o género neutro que já vinha do grego. Isto, de uma maneira geral, para um grande número de palavras terminadas em ‘a’ que, vindas do grego, em português adoptaram, geralmente, o género masculino. São umas boas dezenas de palavras, talvez centenas (não me dei ao trabalho de as contar, para o que precisaria de muito tempo); são, geralmente, de carácter erudito na área científica, como: o grama (seus múltiplos e submúltiplos: o hectograma, o quilograma, o decigrama, o miligrama, etc.); o problema, o dilema, o programa, o panorama, o teorema, o fonema, o grafema, o genoma, o sintoma, o esquema, o enfisema, o tema, o lema, o eczema, o edema, o poema, o emblema, o estratagema, o cinema, etc., etc., etc.

Há, no entanto, nesse grupo de palavras terminadas em ‘a’ vindas do grego, de género neutro, algumas que, por razões de carácter linguístico, nem se sabe bem porquê, em vez de passarem do neutro grego para o masculino, como geralmente aconteceu, inclinaram-se para o género feminino, como, por exemplo: a fleuma, a reuma, e – cá está – a celeuma. Seria caso para perguntar se, também aqui no processo linguístico, nem todos os neutros conseguiram escapar à sedução do feminino?… E então, o grama do título, também é masculino? Pois, meus caros, era mesmo aí que eu queria chegar. A introdução pode parecer grandinha, mas eu achei que assim deveria ser, para se aprender melhor a coisa. Que coisa? Que a palavra “grama”, unidade de massa (ou de peso) na língua portuguesa é do género masculino. Vejam.

(O) grama s.m. FÍSICA, unidade de massa do sistema CGS (centímetro, grama, segundo). Do grego gramma.

Esta, como a generalidade das suas manas (as tais vindas do grego neutro) conseguiu também fugir à sedução feminina. (Não confundir com ‘a grama’ erva). Trata-se, pois, de um grama, dois gramas, vinte e um gramas, duzentos gramas, quinhentos gramas, mil e seiscentos gramas… Mil e seiscentos gramas, quantos quilogramas são? Até uma criança da escola sabe: é um quilo (um quilograma) e seiscentos gramas. Seiscentos, estão vocês a ouvir? Não, seiscentas gramas não, porque este grama é masculino! Não confundir, pois, com ‘a grama’ erva!

(A) grama s.f.(do latino gramina) BOTÂNICA, erva rasteira, rizomatosa, prejudicial às culturas; graminheira.

Todas as vezes que ouço alguém à minha volta dizer “quantas gramas são? quinhentas gramas?”, apetece-me dizer-lhe, como dizia aos alunos na escola: “Quinhentas gramas, não, meninos! As gramas são ervas!”

Ouviram bem? Em peso, são quinhentos gramas! E não se pense que é assim tão raro ouvir essas incorrecções, sobretudo quando se anda próximo de profissionais, aliás, bons profissionais que, na sua profissão, lidam a toda a hora com os gramas, com os miligramas, e até com os microgramas!… Não esqueçam então: as gramas são ervas! Os gramas são peso!

2 Respostas

  1. Quanto ao grama (massa) e à grama (erva) tudo bem. Grama (massa) é masculino, de facto. Gosto da sus erudita explicação e agradeço.
    No sistema CGS a unidade de massa é o grama. O sistema CGS foi substituído em 1960 pelo SI (Sistema Internacional de Unidades) e a unidade de massa passou a ser o kg (kilograma),o que é bizarro pois uma unidade passou a parecer um múltiplo pois tem no nome um prefixo. Coisas da revolução francesa. A unidade de peso passou a ser o newton.
    Mas, já agora, atrevo-me a citar que não se deve dizer um quilograma e seiscentos gramas mas sim 1,6 quilogramas. Isto é, numa expressão para uma quantidade só se usa um nome seja ele o da unidade ou o de um múltiplo ou submúltiplo.
    Tenho a impressão que muitos linguistas são avessos à linguagem matemática mas melhor seriam se o não fossem, penso eu. Não me refiro a ninguém em particular. Até pode uma impressão errada.

    • Meu caro Sebastião, Agradeço sinceramente o seu acrescento explicativo. Quanto à matéria corrigida, e que não é propriamente da minha área, quero dizer-lhe que costumo consultar os dicionários mais actualizados que tenho aqui. Neste caso, fui ao Porto Editora 2003. E digo-lhe mais: como o texto foi publicado no mensário RODILHA e também neste blogue, prometo que irei falar disso em nova postagem . Cumprimentos e obrigado pois.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: